11 de Novembro dia Nacional de conscientização sobre o zumbido

11 de novembro de 2019 às 08:39

Zumbido ATEAL

Zumbido: É um som que as pessoas escutam no ouvido ou na cabeça, especialmente no silêncio (apito, chiado, cigarra entre outros…).

Algumas só o ouvem se prestarem atenção; outras o percebem o dia todo e para alguns ele não deixa dormir, dificulta se concentrar no trabalho/leitura, provoca uma limitação da vida social, além de ansiedade ou depressão.

O zumbido é um “sinal de alerta”: em adultos e idosos, geralmente é consequência de perda auditiva (mesmo que discreta).

Nas crianças e adolescentes, ele aparece antes. Várias causas de zumbido já são conhecidas (algumas até são fáceis de tratar) e uma única pessoa pode ter várias causas associadas.

Podemos prevenir: evitar a exposição a sons altos (baladas, fones de ouvido, trios elétricos, torcidas com rojões/apitos), prestar atenção na alimentação (jejum prolongado, abuso de cafeína, doces e gorduras) e o estresse.

DICAS para revenir o zumbido

– Em festas, shows e bares ruidosos: use protetores de ouvido e faça intervalos periódicos (10min a cada 1h). Não ache “normal” sair da balada com zumbido! Esse é o 1º sinal de fragilidade dos ouvidos!

– Música com fones de ouvido: evite passar da metade da potência do aparelho e de 2h de uso contínuo.

– Evite abuso de cafeína, doces, álcool e nicotina.

– Hidrate-se beba água Combata o sedentarismo, melhore seu metabolismo.

– Alivie seu estresse com atividades relaxantes eficazes: yoga, meditação, Tai-Chi-Chuang, Chi- Cong.

– Reduza o uso do celular direto no ouvido: use mais mensagens de texto, viva-voz ou fone para diminuir a exposição às ondas eletromagnéticas.

– Evite automedicação: cuidado com o uso de anti-inflamatórios e antibióticos, consulte o médico para a necessidade de uso. Leia a bula.

– Incorpore mais momentos de prazer na sua vida, lazer e relacionamentos saudáveis.

 

Momentos de felicidade ajudam a restaurar os órgãos, inclusive os ouvidos.

 

Mariza Cavenaghi Argentino Pomilio

Fonoaudiologa

07/11/2019

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *